terça-feira, 24 de maio de 2016

OFERTANDO COM A MOTIVAÇÃO CORRETA




Gn 4.3 a 5 - Ao cabo de dias trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura. Ora, atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta, mas para Caim e para a sua oferta não atentou. Pelo que irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante.

O texto mostra que os dois irmãos ofertaram algo para Deus, no entanto, Deus rejeitou a oferta de Caim. Por que Deus não recebeu essa oferta e aceitou a de Abel?

É importante observar que há diferença entre aquelas ofertas e isso nos faz refletir quanto a questão da aceitação e rejeição de Deus: O Senhor não pode ser comprado por uma oferta, Ele não se deixa enganar com bajulações.

Qual a visão de Deus, quando é que Ele vê que uma oferta é correta ou não? A visão do Senhor está mais ligada ao coração e motivação daquele que oferta, do que aquilo que é ofertado.

Duas observações importantes quanto ao texto: Deus se agradou de Abel quando olhou para o seu coração e motivação – isso mostra que Deus olha para o ofertante; Deus se agradou da oferta de Abel, Ele viu que era adequada.

Da mesma forma, Deus olhou para Caim e para a sua oferta e não se agradou. Algo no coração e motivação daquele moço não foi ao encontro da expectativa do Senhor. Mas o que foi? A atitude de Caim após a sua oferta ter sido rejeitada por Deus mostra o que de fato ele tinha em seu coração. Ele ficou irado e mais tarde matou seu irmão.

Gn 4.6 a 8 - Então o Senhor perguntou a Caim: Por que te iraste? e por que está descaído o teu semblante? Porventura se procederes bem, não se há de levantar o teu semblante? e se não procederes bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo; mas sobre ele tu deves dominar. Falou Caim com o seu irmão Abel. E, estando eles no campo, Caim se levantou contra o seu irmão Abel, e o matou.

Mas antes de tudo isso acontecer, o texto acima mostra que Deus havia dado uma segunda oportunidade para Caim realizar a oferta de forma correta, mas ele não fez uso desta chance.

Enquanto Abel estava com o coração inclinado a oferecer o melhor a Deus como um ato de adoração, Caim estava com seu coração inclinado ao mal, isso não agrada o Senhor.

Abel ofereceu das primícias, ao passo que Caim provavelmente pegou do que sobrava. Foi como se Caim cumprisse apenas um ritual, porém Abel usou seu coração.

Alguns assumem esta mesma postura quando devolvem seus dízimos, vendo esse momento como um peso ou obrigação. O dízimo é sinal da nossa fidelidade e a oferta é sinal da nossa aliança, ambos devem ser vistos como um ato de amor. 



Jamayra Carvalho